Inicio, meio e fim (parte 1)

Início, meio e fim

Hoje quero falar de uma coisa muito legal que eu descobri. Eu descobri que para escrevermos uma boa história precisamos de um roteiro, isto é, um plano de ação que descreva a estrutura da história. Isso quer dizer o quê? Quer dizer que primeiro acontece isso, depois aquilo e depois aquilo outro e então vem o fim. Deu pra entender? É a maneira como você vai ordenar as cenas de forma a conseguir coerência e clareza. Tem coisa mais horrível que quando você lê um texto e não entende onde o autor quer chegar ou o que ele está querendo dizer? Qualquer texto precisa de clareza, ou a sua mensagem não vai ser compreendida. Se o seu texto é uma história e se ela não for clara seus leitores vão ter dificuldades de entender o que você quer dizer, ou aonde quer chegar. Existem várias maneiras de se estruturar uma história. Descobri alguns formatos famosos. (Oh, isso simplesmente é o máximo! Tô com palpitação de tanta emoção).Tem o Monomito, mais conhecido como A Jornada do Herói. Esse padrão foi usado por George Lucas na criação da saga Jornada nas Estrelas. Tem tanta coisa pra se falar disso que tenho que deixar para depois, senão vou fugir do meu objetivo. Tem o Paradigma de Freytag que é muito legal também. Para ele o drama é dividido em cinco partes ou atos. Ele ilustra este formato como uma pirâmide, onde cada ponta representa os elementos chave da história.

Eu tô maluquinha com tanta informação!

Mas o que eu gostei e achei bem simples de usar é uma estrutura que tem origem no drama da Grécia antiga chamada de Estrutura dos Três Atos. Essa estrutura é bem famosa e pesquisando um pouco na internet descobri que era sobre ela que minha professora de redação falava tanto. Vocês devem se lembrar de suas professoras falando que todo texto precisa de ter início, meio e fim. Muita gente acha que isso é a estrutura dos três atos, mas essa é uma forma muito simplória de apresentar esse assunto. De qualquer forma, eu não pretendo me aprofundar em Aristóteles, mas gostaria de compartilhar o que aprendi sobre como usar essa estrutura para organizar essa história que estamos escrevendo.

O Primeiro Ato

O que é o primeiro ato? O primeiro ato seria o que a sua professora diz ser o início da história. Qual a duração do primeiro ato? Em um livro, o primeiro ato deve compreender aproximadamente ¼ do livro. Então se seu livro tem 100 páginas, o primeiro ato deve ter cerca de 25 páginas. Se o livro tiver 500 páginas ele deve ter aproximadamente 125 páginas.

O que deve acontecer no primeiro ato?

O que precisa acontecer nessas primeiras 25 páginas? Como eu disse antes, algumas coisas precisam acontecer nesse início para que a história flua bem. A primeira dessas coisas é você apresentar o local onde a história se passa. Isso significa o ambiente (se é numa floresta, numa cidade ou em um determinado país), o tempo (é hoje, é no período medieval, é no futuro?) ou o mundo (planeta Terra? outra galáxia? Terra Média?). A segunda coisa a ser apresentada é o personagem principal (ou os personagens principais, se houver mais de um). E a terceira coisa a ser apresentada é o conflito. O que quero dizer com conflito? Bem, você não vai apresentar seus personagens fazendo nada, né? Tem que ter movimento. Toda história deve ter um conflito, um problema que o personagem precisa de resolver. Tipo, salvar a mocinha!!! então aqui no primeiro ato você precisa de mostrar para o leitor qual é o desafio que o seu personagem vai enfrentar. Qual mistério que ele se propõe a escrever. Talvez ele tenha que descobrir o assassinato de alguém ou achar um artefato mágico ou sei lá! Seja lá o que for, tem que tocar nesse assunto até a página 25 – se seu livro tiver 100 páginas, é claro! (Brincadeirinha, isso é uma referência apenas, não é pra seguir a risca. Todos os números que citar nesse texto são aproximados, é só pra ter uma noção).

Passagem ao 2 Ato

Quando acaba o primeiro ato? O primeiro ato acaba quando seu personagem tenta resolver o problema, o conflito, e falha. Ou então quando ele descobre que o problema que ele estava tentando resolver na verdade não é o problema;  o verdadeiro problema é muito maior do que ele pensava. É como se ele tivesse ganhado uma batalha e apesar de estar feliz por isso, ele descobre que está em uma grande guerra. E ele ganhou apenas a primeira e insignificante batalha. Podemos dizer também que o primeiro ato termina quando o seu personagem entra em um novo mundo. Ex.: é quando Frodo sai do Condado (em Senhor dos Anéis). É quando Langdon (em Código Da Vinci) deixa de ser um colaborador da polícia francesa e passa a ser um fugitivo da policia.

2 pensamentos sobre “Inicio, meio e fim (parte 1)

  1. gostei muito da explicação de como deve ser feito o roteiro para escrever um livro.E também, desta comparação entre os primeiros passos , ou seja , aqui mostrados como atos, para composição da historia, desde o início, meio e fim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s