Como escrever cenas de suspense

Mais um artigo retirado do site de Júlio Rocha, que inclusive recentemente escreveu um livro de técnicas para escrever ficção. Bem que ele podia me dar um livro pra sortear, né? Vou escrever pra ele, quem sabe ele concorda. Esse e outros artigos podem ser encontrados no site de Júlio Rocha no endereço http://news.thate.com.br/jrocha/site/index.jsp

Como Escrever Cenas de SuspenseRecebi alguns e-mails solicitando técnicas para escrever cenas de suspense. Só quero deixar claro que existe uma diferença muito grande entre suspense e terror. Digo isso, pois alguns e-mails pareciam confundir um pouco os dois conceitos. é claro que você pode usar suspense e terror na mesma narrativa. Aliás, histórias de terror sempre são acompanhadas de muito suspense.

Para simplificar:

– Terror ocorre quando a cena é forte, onde coisas ruins acontecem e reagimos com sentimentos de medo e repulsa.

– Suspense acontece quando ficamos ansiosos para saber o que virá a seguir.

Nosso objetivo aqui é falar sobre como fazer suspense, seja para romances, comédias, terror ou qualquer outro gênero.

Vamos começar com as premissas básicas para uma boa cena de suspense:

1 – Os personagens envolvidos devem ser verdadeiros e inspirar confiança para o leitor (vide dicas “Como Construir Personagens Partes I, II e III”);

2 – Você deve escolher o melhor ponto de vista para a cena (vide dicas “Como Estabelecer o Ponto de Vista – Partes I e II”);

3 – O leitor deve ter estabelecido algum envolvimento emocional com o(s) personagem(ns) principal(is) (vide dica “Como Criar uma Conexão Emocional Entre Leitor e Personagem”);

Agora vamos aos ingredientes:

– Objetivo. O personagem deve ter um objetivo claro a ser conquistado e que justifique o esforço para alcança-lo.

– Contagem regressiva. O personagem deve cumprir seu objetivo em um determinado período de tempo, caso contrário, irá fracassar e as consequências serão dramáticas.

– Obstáculos. O personagem deve encontrar obstáculos imprevisíveis e difíceis de superar.

Muito bem, considerando que as premissas foram atendidas e os ingredientes são conhecidos, vamos exercitar. Partimos de uma situação comum:

Renato sai de casa para ir ao museu.

Nada demais, correto? Então vamos melhorar acrescentando um objetivo claro.

Renato precisa raspar um pedaço de osso do Tiranossauro Rex, ingrediente fundamental para a poção que irá salvar a vida de Lila.

Agora adicionamos o ingrediente “Tempo”.

São quatro e meia da tarde e Renato precisa chegar ao museu antes das cinco, quando os portões são fechados. Mas o prazo para salvar Lila é o que mais preocupa. Hoje à noite, a lua completa seu ciclo e quando aparecer, exatamente às vinte e uma horas, será o fim de Lila. A única salvação é a poção, que reverterá o processo de envelhecimento e fará com que Lila volte a ser saudável.

E, finalmente, os obstáculos. Primeiro um que irá tornar-se uma preocupação para o personagem e, consequentemente, para o leitor.

Ao entrar no carro, Renato olha para o ponteiro da gasolina. Está na reserva. Ele não terá tempo de reabastecer, pois o tempo de deslocamento até o museu, em condições normais é de quarenta minutos. Ele terá que correr e rezar para que o combustível não acabe no meio do caminho.

Um imprevisível.

Já na estrada, Renato não consegue tirar os olhos do painel. A luz que indica falta de combustível pisca insistente e ele precisa de gasolina por mais cinco quilômetros. Ele vê a saida que dá acesso à avenida principal e pega a pista da direita. Desce a rampa e é surpreendido por um gigantesco engarrafamento. Vários carros bloqueiam seu caminho. Sem ter como voltar para a estrada ou pegar outro desvio, Renato se desespera. Restam apenas 10 minutos para o fechamento do museu. Ele precisa encontrar uma saída.

O que mais pode ser usado nesta história para gerar suspense? Eu diria que o céu é o limite! Tudo vai depender da imaginação do escritor. Podemos, por exemplo, parar o capítulo nesta última sentença, deixando o leitor sem saber se Renato irá ou não conseguir encontrar um meio de chegar ao museu a tempo. Então dedicamos o próximo capítulo à Lila, vivendo o drama do ponto de vista dela! Imagine se criarmos uma situação onde o prazo de Lila para ficar viva se torne ainda menor? E, pior, Renato só fique sabendo disso depois que voltar do museu com o ingrediente para a fórmula?

Como você pode ver, a receita é simples, mas o cozinheiro deve saber usar os ingredientes de forma inteligente.

8 pensamentos sobre “Como escrever cenas de suspense

  1. Pingback: Os números de 2010 « FENIX RESURRECTED'S BLOG

    • comece escrevendo o fim do livro, tenho certeza que o começo ficará infinitamente melhor porque já saberá onde quer levar seus leitores e onde deve colocar as pistas verdadeiras e também as falsas. já saberá a motivação de todos os personagens e enfim, acho que se sabemos onde devemos chegar fica bem mais fácil de se traçar o caminho, não é? Funciona para mim. E a primeira cena tem que ser de impacto, ação, algo tem que acontecer que faça o leitor querer continuar lendo. Não se esqueça disso. Bjus Barts.

  2. Eu tenho que fazer uma redação e tem que ter Climax, tinha que escokher entre romance e suspense.. Eu escolhi suspense pq romance ficaria meio estranho… E ñ tenho idea como começar.. Se puder ajudar eu agradeço.. Bjs

    • Ei Juuh, pra você criar o suspense seu texto precisa conter certos elementos como:
      – Objetivo. O personagem deve ter um objetivo claro a ser conquistado e que justifique o esforço para alcança-lo.
      – Contagem regressiva. O personagem deve cumprir seu objetivo em um determinado período de tempo, caso contrário, irá fracassar e as consequências serão dramáticas.
      – Obstáculos. O personagem deve encontrar obstáculos imprevisíveis e difíceis de superar.
      Tendo isso em mente é só escolher personagens e cenário (tipo motoboy que tem que entregar certa encomenda num determinado local muito interessante. Pode ser desde uma empresa até, sei lá, uma boca de fumo ou uma floresta encantada!) e nesse trajeto ele encontra os obstáculos que você vai temperando sempre com a contagem do tempo pra deixar o leitor cada vez mais tenso e nervoso, ai você volta pra cena do motoboy agonizante e vai levando assim até concluir sua história com seu personagem vitorioso, ou não.

  3. Estou finalizando um livro no estilo terror/horror. Achei suas dicas maravilhosas. Ajuda muito. Aliás, fiquei feliz por identificar suas dicas naquilo que eu já estou fazendo. Acho que pensamos de forma semelhante. Um abraço. 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s