Estruturando as Cenas de sua história, Pt.3

Mais uma da série de K.M. Weiland sobre como estruturar suas cenas. Se você não faz ideia do que estou falando leia a parte 1 e a parte 2 dessa fantástica série antes de prosseguir.

Estruturando as Cenas de sua história, Pt.3: Objetivos em uma Cena – opções

A história como um todo e cada cena dentro dela inicia-se com um objetivo. Seu personagem deseja alguma coisa – algo que ele terá dificuldades em alcançar. O que ele quer molda o enredo tanto no nível macro e micro. O que ele quer o define como pessoa, e , por extensão, o tema do livro como um todo. Os objetivos possíveis para as cenas são infinitos – e muito específicos para sua história. Seu personagem pode querer qualquer coisa em qualquer cena, mas dentro daquele universo de opções você precisa diminuir os desejos expressados dentro da cena para aqueles que irão orientar a trama. Desejar comprar cravos rosados para o Dia das Mães é um objetivo digno, mas se a mãe do personagem tem um papel inexistente na sua história de guerrra nuclear, isso não vai fazer parte da sua história – e certamente não funcionará como objetivo de sua cena. Os objetivos da Cena são os dominós que estou sempre me referindo. Cada objetivo é um passo adiante em sua história. Um objetivo leva a um resultado que induz a um novo objetivo e assim por diante. Bing-bing-bing – eles caem um sobre o outro, um dominó depois de outro. Se não – se um objetivo está fora do lugar no geral da história – a linha de dominós irá parar e a história vai vacilar, talvez fatalmente.

Objetivo da trama vs. Objetivo da Cena

A trama geral de seu personagem será um dilema que levará toda a história para ser resolvido. Ele pode querer ser Presidente, ele pode querer resgatar sua filha que fora sequestrada, ele pode querer casar com a vizinha ou ele pode querer alcançar cura emocional e um novo começo após a morte de seu pai. Se quebrarmos o objetivo global da história em pedaços pequenos, descobrimos que ele na verdade é feito de objetivos menores em sequência. Seu personagem pode não começar já sabendo que ele quer um novo começo ou que quer casar com a vizinha (embora isso deva ser imediatemente evidente ao leitor ao menos por dedução se não por outro motivo). Mas na primeirissima cena ele vai saber que deseja algo. Talvez ele saiba que quer que o cachorro da vizinha pare de comer suas petúnias. Então ele sabe que precisa encontrá-la e convence-la a mante-lo na corrente. Então ele percebe que ela é irritantemente bonita. Então ele percebe que quer sair com ela. Então ele sabe que tem que superar a péssima primeira impressão que deu a ela. Então ele sabe que deveria comprar flores para ela. E etc, etc, etc. antes que você perceba, todos esses pequenos objetivos de cena irão te levar até o objetivo global da história. O fator mais importante a se manter em mente enquanto identifica cada objetivo de cena é sua pertinência à trama. Subenredos podem dar oportunidades a objetivos que não estão diretamente relacionados ao seu objetivo principal de casar com a vizinha, mas eles também devem finalmente se amarrar na trama geral de uma forma ressonantemente impactante ou temática.  Se a realização  ou não realização de qualquer objetivo de cena não afeta o resultado final da historia é porque ele não é suficientemente pertinente.

Objetivos de Cenas: opções

Objetivos de cena se manifestarão de formas descontroladamente diferentes. Seu personagem pode querer queimar um pacote de cartas, tirar um cochilo, se esconder no armário ou afundar um barco. Mas a maioria dos objetivos das cenas podem ser resumidos em uma das categorias seguintes. Seu personagem irá querer:

1.Algo concreto (um objeto, uma pessoa, etc)

2.Algo incorpóreo (admiração, informação, etc)

3.Escapar de algo físico (encarceramento, dor, etc)

4.Escapar de algo mental (preocupação, suspeita, medo, etc)

5.Escapar de algo emocional (luto, depressão, etc)

Seus métodos de alcançar essas coisas irão frequentemente se manifestar em uma das seguintes formas (embora esta lista não seja definitiva):

1.Buscar informação.

2.Esconder informação.

3.Se esconder.

4.Esconder outra pessoa.

5.Confrontar ou atacar outra pessoa.

6.Reparar ou destruir objetos físicos.

Objetivos parciais e que atravessam várias cenas

Embora objetivos de cena sempre sejam de curto alcance (ao contrário do objetivo da trama que é de longo alcance), eles não irão sempre ficar confinados a uma unica cena ou serão completados em uma unica cena. Às vezes sua história pedirá objetivos que ultrapassem e se espalhem por várias cenas. Por exemplo, seu personagem pode saber na cena nº 3 que ele deseja sair com a vizinha mas esse não é um objetivo que ele possa alcançar em uma unica cena. Ele pode não conseguir alcançar esse objetivo específico até a cena nº 11! É ai que objetivos parciais entram na jogada. Da mesma forma que objetivos de cena conduzem ao objetivo geral da história, objetivos parciais conduzem a cumprir objetivos que ultrapassam a cena, que por sua vez levarão ao objetivo global. Em nosso exemplo, a jornada do personagem para alcançar esse determinado objetivo que vai além da cena pode incluir objetivos parciais como esbarrar com ela inumeras vezes, conseguir o telefone dela, comprar flores para ela e se desculpar por ter gritado com o cachorro dela. Objetivos que vão além, que requerem várias cenas para alcançar o alvo não negam a necessidade de objetivos individuais dentro de cada cena intermediária. Mas não se limite com a noção de que cada cena tenha que ser uma ilha em si mesma. Cada cena é somente uma pequena parte de um todo maior. A partir do momento que tudo deve ser integral, é impossível que tudo não esteja entrelaçado.

Perguntas a fazer sobre objetivos da Cena

Uma vez identificado o  objetivo de cena, pare e se faça as seguintes perguntas:

1.O objetivo faz sentido dentro da trama geral?

2.O objetivo é inerente à trama geral?

3.A complicação/resolução do objetivo levará a um novo objetivo/conflito/desastre?

4.Se o objetivo é mental ou emocional (ex. ser totalmente feliz hoje),  tem ele uma manifestação física (ex. sorrir para todp mundo)? (Isso não é sempre necessário, mas permitir que personagens demonstrem externamente seus objetivos oferece uma representação mais forte do que meramente dizer, via narrativa interna).

5.O sucesso ou fracasso do objetivo diretamente afeta o narrador da cena? (Se não, seu POV provavelmente não foi bem escolhido).

Objetivos de cena em ação

Vamos examinar alguns objetivos de cena em ação. Só por amor à continuidade estarei usando exemplos dos mesmos quatro livros e filmes que usei em minha série “Segredos da Estrutura da História”.

Orgulho e preconceito de Jane Austen:

Objetivo de Sra. Bennet no primeiro capitulo é convencer seu marido a visitar o recém chegado Sr. Bingley. Apesar dela não ser a protagonista da história, ela é a atriz principal nesta primeira cena, então é apropriado que o primeiro objetivo pertenca a ela. O capítulo oferece um maravilhoso objetivo de abertura (que abre/inicia o livro) uma vez que não só apresenta um objetivo de cena de curto prazo mas também perfeitamente molda o objetivo geral da história.

It´s a Wonderful Life de Frank Capra:

O objetivo do anjo Joseph na primeira cena é encontrar um anjo que ele possa enviar para ajudar George Bailey. Como em Orgulho e Preconceito o filme abre com uma perspectiva externa ao protagonista, mas apresenta uma imagem instatânea e precisa do objetivo geral da história (salvar George Bailey ajudando-o a entender que sua vida vale a pena ser vivida).

Ender´s Game de Orson Scott Card:

O livro abre com várias cenas curtas indicando os objetivos de pessoas que não são o protagonista (usado, mais uma vez, para moldar o foco geral da trama). O primeiro objetivo de Ender é evitar os brigões e conseguir chegar no ônibus escolar sem incidentes.

Master e Commander: The Far Side of the World dirigido por Peter Weir:

Tanto o objetivo geral da história e por extensão a primeira cena individual são introduzidos na cena de abertura do fime com a revelação das ordens de  Jack Aubrey para achar e destruir o corsário francês Acheron. O filme estabelece esse objetivo permitindo os leitores diretamente ler as ordens, então pula para a primeira cena com o oficial vigiando o mar em busca de qualquer anomalia que prove ser sua caça.

Uma vez que que você colocou no lugar o objetivo o resto da cena provavelmente fluirá facilmente e naturalmente. Enquanto cada cena for inerente a sua história e mover a trama para frente você estará em curso para alcançar um romance sólido e coeso.

*Para os propósitos desta série “Cena” com um C maiúsculo se referirá a cena em geral (o que pode incluir em sua definição a sequência).

Usarei C minúsculo e itálicos para cena e sequencia quando me referir aos dois tipos de Cenas.

Acessado em 02/02/2015 em http://www.helpingwritersbecomeauthors.com/2012/12/structuring-your-storys-scenes-pt-3.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s