Estruture suas cenas – Exercício: Objetivo, conflito e Desastre


Vocês devem estar acompanhando a série que estou traduzindo sobre como estruturar as cenas de uma história.  Quem chegou agora pode dar uma lida rápida na parte um http://buff.ly/1FZmo2U e na parte dois http://buff.ly/1wT0y99  dessa série antes de prosseguir.

Bem, queria saber se estou entendendo direito as instruções da autora. Ela usou como referência uma cena de Orgulho e Preconceito de Jane Austen. Não sei se tiveram tempo para dar uma olhada nessa cena, mas é que pra mim ainda não estava suficiente.  É que a autora já havia dado as dicas então foi fácil identificar os pontos na cena. Queria ver se conseguia fazer essa identificação sozinha e em qualquer livro que pegasse, queria saber se realmente é algo que os autores usam.  Pois bem, estou lendo uma trilogia já pela terceira vez, chamada “Nascidos da bruma: o império final” de Brandon Sanderson. É um livro maravilhoso de fantasia com um sistema de magia único que foge bastante daquela coisa batida a lá Tolkien, com elfos e anões e magos. E não tem dragões também (não se enganem, eu a-do-ro os livros do Tolkien, mas covenhamos que tem cópias demais do estilo dele zanzando por aí. De vez em quando é bom ser criativo!) Anyway, o livro é muuuuuuito bom mesmo.  Ai peguei o livro e abri logo no inicio e fui analisar as primeiras cenas, dessa vez com olhos de escritora e não de leitora como usualmente faço.  Queria identificar o objetivo,  o conflito e o desastre da cena. Esse é um excelente exercício que todos deviam fazer pra fixar o aprendizado.  A gente aprende com a repetição.  Então tá,  comecei a ler cuidadosamente e fui percebendo que tinha alguma dificuldade. Passei para a segunda cena, foi bem mais fácil.  Aqui percebemos que kelsier (esse é o protagonista) quer causar uma rebelião, o autor se utiliza de dois outros personagens para dizer isso, além da fala do próprio Kelsier onde ele admite ser apenas um encrenqueiro. Então o objetivo dele está bem claro. O conflito aparece na conversa com Mennis onde ele questiona o motivo dos skaa não reagirem à toda maldade que são submetidos e Mennis diz que é preferível esse tipo de vida do que a morte.  Ou seja, os skaa não vão se rebelar. Ai entra o desastre.  Gritos são ouvidos na noite e Kelsier descobre que são de uma jovem skaa que está sendo levada para o senhor da plantação e que ela não vai sobreviver porque ele mata todas as jovens skaa depois de ter relações com elas. Kelsier sai da choupana e mergulha nas brumas.

Muito bom isso! Consegui encontrar todos os pontos direitinho.  Voltemos a cena um. Me deu um lampejo agora! Na cena um temos que analisá-la do ponto de vista de quem tem o P.O.V, ou seja, Lorde Tresting e não o de Kelsier como havia tentado antes. Essa é a desvantagem de ter lido o  livro tantas vezes. Como já conheço a história acabo me adiantando.  O certo é ficar estritamente com os dados que a cena está me fornecendo (difícil quando já se sabe o que vai acontecer!). Como essa primeira cena é a que apresenta o personagem Kelsier, fiquei com ele na mente e não me toquei que a cena é narrada do ponto de vista de um outro personagem. Quando me ajustei a isso as coisas ficaram mais fáceis. Pois bem. Lorde Tresting deseja fechar um contrato com outra casa nobre chamada Venture. Esse é seu objetivo. Isso está muito claro também.  Aparece com todas as letras na voz do Obrigador. O conflito foi mais complicado de reconhecer.  É que ele aparece somente como um pensamento de Tresting.  Ele fica pensando como agradar Venture,  se conseguiria uma colheita extra, mas se depara com o problema da morosidade dos skaa. Ele imagina se apertando-os um pouco mais não conseguiria a tal desejada colheita  extra quando entra em cena o desastre: um skaa o encara com fogo no olhar, desafiando-o.

Legal. Tá ai o exercício feito.  Quem puder compre o livro e leia pois é bom demais. Se quiser ajudar a manter o blog compre através desse link (para os leitores que estão no exterior) e nesse link para os leitores no Brasil.